A globalização é um fenômeno que tende a aproximar culturas, costumes sociais, políticos e econômicos de todos os países do mundo. O efeito é causado pelos sucessivos avanços da tecnologia, principalmente na área de comunicação e transportes, que proporcionam uma integração maior entre as diversas regiões do mundo. A globalização também é fruto do capitalismo e tende deixar o mundo cada vez mais homogêneo.

A globalização é o maior “trunfo” do capitalismo. Foi uma maneira de fazer com que os países desenvolvidos continuassem produzindo e tendo mercado para essas mercadorias. Caso não houvesse essa proximidade com outros mercados, essa produção não acharia destino, visto que logo o mercado interno do país estaria abastado.

Esse fenômeno fez com que notícias que aconteciam em lugares distintos pudessem ser noticiadas para todo o mundo em tempo real. Isso é fruto do avanço no campo das comunicações. Fez com que as pessoas pudessem chegar a lugares que, antes dos avanços nos meios de transporte, só seriam alcançados com muito tempo de viagem e muito investimento.

Se antes as cartas eram o meio mais rápido de transmitir notícias, a internet, o rádio e televisão a transmitem-nas com velocidade e riqueza de detalhes incrivelmente maiores, ainda mais com o advento do sinal de tv digital. Se antes as embarcações eram o único modo de se chegar a outro continente, mesmo levando meses para chegar, os aviões possibilitaram que essa viagens não durassem mais que um dia. É o chamado efeito “Aldeia Global”.

A globalização tem várias datas apontadas para seu início, mas seu provável começo foi na era dos descobrimentos, em que as embarcações das potências da época descobriam, levavam e traziam mercadorias e também notícias de lugares distantes. No entanto, a época em que houve um grande salto importante para os resultados da globalização atual, foi a partir da Revolução Industrial. Outros eventos importantes para a globalização foram: a Revolução Tecnológica e a Segunda Guerra Mundial.

Um dos primeiros produtos da globalização foi um famoso programa de radio que acontecia durante a Segunda Guerra, o Repórter Esso, um noticiário transmitido para 14 países da América. Esse noticiário foi o primeiro “produto” que rompia as fronteiras da distância através das ondas das rádios, e atingia milhares, talvez milhões de pessoas. Seria só o início do incrível efeito que seus sucessores televisão e internet iriam causar.

Esse processo de junção entre vários países surgiu por causa do temor de uma terceira guerra mundial. Os males que isso causaria ao mundo poderiam ser um preço alto demais. Então o mundo resolveu possibilitar um “encurtamento” de distância entre os países para que se fizessem mais relações pacíficas entre eles. Junto a isso, veio a criação das Nações Unidas e dos Blocos Econômicos. Tudo isso para aproximações das nações.

Como resultado desse esforço e das melhorias em nossos meios de informação e de transporte, temos hoje um mundo cada vez mais interligado. O fato de ter um produto que pode ser achado em pontos distintos e distantes do globo terrestres é uma vitória do capitalismo conquistada com a globalização. Os Blocos Econômicos e o estreitamente de relações entre países são todos frutos do fato desse fenômeno transformar o mundo num local cada vez “menor”.